O Prenúncio Parte 4 – Rokugan Além do Livro Básico

A História de Rokugan Além do Livro Básico

A história do RPG a Lenda dos Cinco Anéis (L5A) está sempre em constante expansão e muito já aconteceu além do que é mostrado no livro básico. Esse post faz parte de uma série onde tenho contado os principais acontecimentos do Império Esmeralda a partir de onde o livro básico, publicado no Brasil pela editora New Order, parou. Para saber um pouco mais sobre o porque da sempre expansão da história de L5A, veja o post inicial. Caso não faça ideia do que é Lenda dos Cinco Anéis, que tal ler o post onde explicamos um pouco?

Veja também os outros posts da série!

A Guerra da Destruidora – O Prenúncio: Parte 4

 

O Destino não Guarda Segredos

bayushi_kurumi

Bayushi Kurumi

O grupo de Yoritomo Saburo não ficou inativo por muito mais tempo. Após receberem de Furumaro a suposta informação de que o Escorpião possuía uma arma que poderia ser usada contra os invasores, o samurai Louva-a-Deus logo foi comunicar a Imperatriz a sua descoberta. A voz da Imperatriz pareceu achar estranho quando foi dito que um simples monge havia revelado tal informação tão cheia de lapsos, mas Iweko I permitiu que Saburo e os seus fossem em busca dessa suposta arma, talvez ela existisse e o Escorpião não soubesse do que se tratava. A condição é que teriam de ser acompanhados por um membro do Clã Escorpião.

Não foi um problema. Kakita Hideo logo conversou com Bayushi Kurumi, disfarçando o motivo da viagem deles e implicitamente convidando-a para ajudá-los. Não sabia que a cortesã buscava se aproximar do grupo e estava tendo dificuldades nesse sentido. Seu objetivo era investigar e vingar a morte de seu amigo Bayushi Eisaku, que havia morrido enquanto viajava com o grupo. Continuar lendo

O Prenúncio Parte 3 – Rokugan Além do Livro Básico

A História de Rokugan Além do Livro Básico

A história do RPG a Lenda dos Cinco Anéis (L5A) está sempre em constante expansão e muito já aconteceu além do que é mostrado no livro básico. Esse post faz parte de uma série onde tenho contado os principais acontecimentos do Império Esmeralda a partir de onde o livro básico, publicado no Brasil pela editora New Order, parou. Para saber um pouco mais sobre o porque da sempre expansão da história de L5A, veja o post inicial. Caso não faça ideia do que é Lenda dos Cinco Anéis, que tal ler o post onde explicamos um pouco?

Veja também os outros posts da série!

A Guerra da Destruidora – O Prenúncio: Parte 3

Daigotsu_Gahseng

Daigotsu Gahseng

Quem Controla a Praga

A necessidade de saber os movimentos da Filha de Ébano levou Daigotsu a ordenar que três de seus servos encontrassem e seguissem os movimentos da criatura. Essa busca acabou fazendo com que Daigotsu Gahseng e dois comandados chegassem até a cidade de Ryoko Owari Toshi.

Buscando por indícios da presença de seu alvo, o trio logo descobriu que o Daimyo da família imperial Otomo se encontrava na cidade sem contar com proteção apropriada, trazendo apenas um yojimbo. Decidiram vigiar o ilustre samurai, pois imaginavam que a filha de Ébano certamente atentaria contra a sua vida. Continuar lendo

Lealdade e Império – Parte 2

Esta é uma pequena história passada em Lenda dos Cinco Anéis que estou escrevendo, uma fanfic, se preferir o termo. Ela se passa depois da cronologia atual do Card Game, aproveitando as ideias do que seria a Onyx Edition, onde Daigotsu Kanpeki e o Clã da Aranha, com a ajuda do Jigoku, entraria em guerra com Rokugan.

================================================================

Parte 1

161197_original

 

Lealdade e Império – Parte 2

— Nitoshi-sama, o duelo acabou. O Imperador está morto.

Mesmo sendo um orgulhoso Escorpião, o mensageiro quase não conseguiu cumprir o seu dever sem gaguejar em meio às palavras. Não houve auxílio da parte Bayushi Nitoshi, este demorou-se para liberar do seu escrutínio, mas a verdade é que, mesmo sabendo o destino de Iweko II no instante em que foi declarada a intenção de um duelo,o Campeão do Clã Escorpião demorou-se em pensamentos, tentando apreender a informação. De fato, aquela era uma notícia esperada, mas ainda assim tão terrível que chegava a ultrapassar o curioso e, principalmente, inquietante distanciamento com o qual Nitoshi parecia encarar o mundo.

Seu olhar estava pousado no samurai que viera lhe entregar as notícias, mas os pensamentos do Campeão vagavam distantes. Para Bayushi Tetsuro esta reação de seu senhor era mais assustadora que as forças profanas do inimigo. Continuar lendo

O que Esperar dos Inimigos do Império

Enemies_of_the_Empire

O primeiro suplemento de Lenda dos Cinco Anéis já está em pré-venda no site da New Order, como foi prometido ao público brasileiro alguns meses atrás. Há um debate sobre qual livro traria um material complementar mais interessante para ser o primeiro aditivo às publicações brasileiras do RPG, mas sem dúvidas, Inimigos do Império foi – e com razão – um dos títulos mais citados.

Mas no que de fato, consiste o Inimigos do Império?

A resposta mais simples, e preguiçosa, seria dizer que é um bestiário, ou um livro dos montros. Que ele traz as estatísticas e estratégias de diversas criaturas e monstros de Rokugan. Não é uma definição que mereça ser demonizada. Dentro da cultura RPGística, a ideia de um bestiário é bastante difundida e mesmo os jogadores iniciantes conseguem identificar com essa única palavra a raison d’etre. Continuar lendo

Afinal, como é “Lenda dos Cinco Anéis” RPG? – Parte 4

5-aneis

(Não leu a primeira parte? Nela se explica a premissa básica de Lenda dos Cinco Anéis, em como o mundo se parece com o Japão e os primórdios da história do Império de Rokugan, já na segunda parte eu falo sobre os Grandes Clãs aos quais os personagens jogadores podem pertencer).

Parte 2      Parte 3

Aventuras no Império Esmeralda

Fantasia e Espada; Mas Longe do “Explore a Masmorra” Padrão

O mundo de Lenda dos Cinco Anéis é repleto de fantasia e guerreiros valorosos dispostos a se sacrificar em prol do que acreditam. No entanto, a forma como este RPG foi concebido em nada se assemelha a jogos ao estilo Dungeons And Dragons.

Explorar masmorras, matar monstros e reunir tesouro não é algo que acontecesse com frequência em L5A. O conceito de Dungeon Crawl não está muito de acordo com a proposta do jogo. É verdade que muitos dos jogadores estarão na pele de um samurai experiente em combates e muitas vezes especialistas em aniquilar aberrações. No entanto, em Rokugan existe tanto triunfo quanto sacrifício e a maioria dos guerreiros que se lançam contra um oni, sejam jogadores ou não, podem na maioria das vezes contar apenas com uma morte honrada, mas não com uma vitória. Continuar lendo

O Prenúncio Parte 2 – Rokugan Além do Livro Básico

A História de Rokugan Além do Livro Básico

A história do RPG a Lenda dos Cinco Anéis (L5A) está sempre em constante expansão e muito já aconteceu além do que é mostrado no livro básico. Esse post faz parte de uma série onde tenho contado os principais acontecimentos do Império Esmeralda a partir de onde o livro básico, publicado no Brasil pela editora New Order, parou. Para saber um pouco mais sobre o porque da sempre expansão da história de L5A, veja o post inicial. Caso não faça ideia do que é Lenda dos Cinco Anéis, que tal ler o post onde explicamos um pouco?

Veja também os outros posts da série!

A Guerra da Destruidora – O Prenúncio: Parte 2

Tsukai-sagasu

Uma Guerra de Três Fronts

Já haviam se passado cinco meses desde o início da Guerra da Destruidora, Rokugan estava em no Mês do Dragão de 1172 e o castelo ancestral da família Kuni, Shiro Kuni estava sob cerco das forças dos destruidores há semanas. No norte, o Exército de Fogo continuava a assolar as terras do Dragão com táticas de guerrilha. Já estavam alcançando as terras da Fênix, fazendo com que o clã de Shiba precisasse dividir-se entre os esforços de ajudar o Caranguejo e defender suas próprias terras. Continuar lendo

Lealdade e Império – Parte 1

Esta é uma pequena história passada em Lenda dos Cinco Anéis que estou escrevendo, uma fanfic, se preferir o termo. Ela se passa depois da cronologia atual do Card Game, aproveitando as ideias do que seria a Onyx Edition, onde Daigotsu Kanpeki e o Clã da Aranha, com a ajuda do Jigoku, entraria em guerra com Rokugan. É um conto curto, pretendo postar uma parte por semana, mas não é um compromisso.

================================================================

161197_original

Lealdade e Império

É um conhecimento geral, desde as Areias Escaldantes, passando pelos Reinos de Marfim e até mesmo no distante reino de Thrane, que os samurais de Rokugan possuíam uma vasta história sobre guerras e conflitos. Havia A Batalha do Gamo Branco, quando expulsaram os gaijin de Thrane da Baía do Sol Dourado, ou então a Vitória Sem Golpe, de muito tempo atrás, quando as Garças interviram na primeira guerra entre o Leão e a Fênix. Em uma escala maior houve a Guerra da Destruidora, quando o Império precisou se unir contra as forças de uma deusa estrangeira, além da tão emblemática Guerra dos Clãs, quando Rokugan se viu em uma enorme guerra civil.

Esses são nomes para os que vieram depois. Referências as quais os historiadores, os bardos e os professores utilizavam para passar adiante a cultura superior do Império Esmeralda. No momento do conflito, para os samurais que viviam e morriam pelos seus Clãs, uma guerra era apenas uma guerra. Inominável, letal e gloriosa.

Mas aquele conflito era diferente. Bayushi Tetsuro não sabia de quem havia sido a ideia. Talvez de uma Garça dramática, ou então de uma Fênix preocupada. Mas a verdade é que mesmo ele em seu cinismo escarlate não podia deixar de pensar sobre o nome. Era um nome agourento, respeitado pelo Caranguejo mais turrão, ponderado com sofreguidão pelos Dragões e temido como praga pelos ashigaru que não sabiam o que era melhor naquele confronto: morrer ou viver.

Aquele era um combate onde tudo seria decidido. Onde não só o Império, mas também o Tengoku teria a sua existência contestada; o último conflito de uma guerra que já se demorava demais.

Nenhum sangue havia sido derramado no Kaia no Kin, o Rio de Ouro, mas suas águas já eram escarlates e o que acontecia ali já havia sido batizado.

Chamavam de A Batalha do Fim do Mundo.

================================================================

Por Renan Barcellos