Lealdade e Império – Parte 1

Esta é uma pequena história passada em Lenda dos Cinco Anéis que estou escrevendo, uma fanfic, se preferir o termo. Ela se passa depois da cronologia atual do Card Game, aproveitando as ideias do que seria a Onyx Edition, onde Daigotsu Kanpeki e o Clã da Aranha, com a ajuda do Jigoku, entraria em guerra com Rokugan. É um conto curto, pretendo postar uma parte por semana, mas não é um compromisso.

================================================================

161197_original

Lealdade e Império

É um conhecimento geral, desde as Areias Escaldantes, passando pelos Reinos de Marfim e até mesmo no distante reino de Thrane, que os samurais de Rokugan possuíam uma vasta história sobre guerras e conflitos. Havia A Batalha do Gamo Branco, quando expulsaram os gaijin de Thrane da Baía do Sol Dourado, ou então a Vitória Sem Golpe, de muito tempo atrás, quando as Garças interviram na primeira guerra entre o Leão e a Fênix. Em uma escala maior houve a Guerra da Destruidora, quando o Império precisou se unir contra as forças de uma deusa estrangeira, além da tão emblemática Guerra dos Clãs, quando Rokugan se viu em uma enorme guerra civil.

Esses são nomes para os que vieram depois. Referências as quais os historiadores, os bardos e os professores utilizavam para passar adiante a cultura superior do Império Esmeralda. No momento do conflito, para os samurais que viviam e morriam pelos seus Clãs, uma guerra era apenas uma guerra. Inominável, letal e gloriosa.

Mas aquele conflito era diferente. Bayushi Tetsuro não sabia de quem havia sido a ideia. Talvez de uma Garça dramática, ou então de uma Fênix preocupada. Mas a verdade é que mesmo ele em seu cinismo escarlate não podia deixar de pensar sobre o nome. Era um nome agourento, respeitado pelo Caranguejo mais turrão, ponderado com sofreguidão pelos Dragões e temido como praga pelos ashigaru que não sabiam o que era melhor naquele confronto: morrer ou viver.

Aquele era um combate onde tudo seria decidido. Onde não só o Império, mas também o Tengoku teria a sua existência contestada; o último conflito de uma guerra que já se demorava demais.

Nenhum sangue havia sido derramado no Kaia no Kin, o Rio de Ouro, mas suas águas já eram escarlates e o que acontecia ali já havia sido batizado.

Chamavam de A Batalha do Fim do Mundo.

================================================================

Por Renan Barcellos

Anúncios

Um comentário sobre “Lealdade e Império – Parte 1

  1. Pingback: Lealdade e Império – Parte 2 | dadosmalditos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s