A Montanha que se Arrasta: Reinterpretando os Mythos

portrait_of_cthulhu_by_nicktheartisticfreak

Cthulhu, casado de ser representado como um cara com cabeça de povo. “portrait of cthulhu” por nicktheartisticfreak.

Ok,  isso pode parecer um pouco chocante para alguns de vocês, mas… Cthulhu não é um cara gigante com assas e cabeça de polvo. Não, sério. Pode ir lá ler no “Chamado de Cthulhu”. A apenas os ídolos de Cthulhu batem com essaa descrição – e ninguém tem dificuldades em descreve-los. Quando um dos azarados protagonistas bate com o próprio Cthulhu, todavia, ele fica sem palavras. O mais próximo que temos de uma descrição são algumas pontas soltas. “Imensidão Gelatinosa”. “A coisa era indescritível”.”Uma montanha caminhava ou se arrastava”. “Garras Flácidas”. “Terrível cabeça de Lula”. “Tentáculos Convultosos”. Então é, até onde sabemos Cthulhu pode ser uma montanha de gelatina.

Dois mortais tentam aceitar a morte iminente nas garras do Grande Antigo. Cthulhu, agora disponível em sabor pêssego.

Mas… Falando sério, o fato que é a maioria das ilustrações modernas de Cthulhu não faz justiça ao conceito original. Os monstros de Lovecraft são símbolos do medo do desconhecido, do incompreensivelmente estranho e repulsivo. Eles deviam ser repulsivos, não imponentes. Eles deviam ser monstros no sentido mais asqueroso da palavra. Pense nos peixes abissais, nas criaturas cegas de cavernas mundo à fora e nos vermes que se escondem embaixo da terra. Muitos de vocês tem medo desses bichos, um medo cego e primal, misturado com asco. Diabos espaciais, aposto que alguns de vocês sentem calafrios só de imaginar essas coisas.  E olhe que nenhuma delas é sequer capaz de ferir vocês. Esse é o medo que as ilustrações de Cthulhu deviam tentar despertar, o medo da barata, não o do leão.

Além disso, é sempre bom lembrar que Lovecraft, ou ao menos seus conterrâneos, tinha uma noção de monstruoso diferente da nossa. Naquela época, todavia, o monstruoso estava associado a formas mais cartunes… Oníricas, com olhos esbugalhados, e formas menos imponentes. Isso pode ser facilmente visto nas ilustrações originais para as histórias dele:

Por essa lógica, talvez a melhor forma de representar Lovecraft no cinema seja com efeitos especiais de segunda.

Por essa lógica, talvez a melhor forma de representar Lovecraft no cinema seja com efeitos especiais de segunda.

E sim, isso quer dizer que as ilustrações “chibi” de Cthulhu são mais válidas do que a maioria pensa.

Cthulhu: enlouquecedoramente fofo.

Cthulhu: enlouquecedoramente fofo. Via Cute-thulhu

Em segundo lugar, Cthulhu não é dessa dimensão. Mas o que isso quer dizer, exatamente? Há duas maneiras de interpretar isso. Um delas interpreta “dimensão” como realidade, mundo ou universo. Por essa visão, quando dizemos que Cthulhu é de outra dimensão estamos dizendo que ele vem de outro mundo. E é nessa hipótese que a maioria da ficção lovecraftiana, assim como o resto das ilustrações desse artigo, se baseia.

A outra interpreta “dimensão” como dimensão especial, tal qual altura, profundidade e largura. Por essa interpretação, quando dizemos que Cthulhu é de outra dimensão, estamos dizendo que ele é constituído por outras dimensões além das que conhecemos. Isso significa que nunca poderemos observar o verdadeiro Cthulhu de uma vez, apenas “pedaços” dele.

O desenho Ben 10 até usou esse conceito em um episodio, inclusive.

O desenho Ben 10 até usou esse conceito em um episodio, inclusive. Todavia, a criatura trans-dimensional parecia mais a representação de uma criatura tridimensional em um espaço bidimensional do que a de um ser treta-dimensional em um espaço tridimensional.

Confuso? Bem, não se preocupe, somos dois.

Representação animada de um cubo quadrimensional sendo girado.

Representação animada de um cubo quadrimensional sendo girado.

A quarta dimensão (que dirá a quinta, sexta, etc) é um conceito exótico, difícil de por em palavras e quase impossível de se imaginar. Então para facilitar nossas vidas, ai vai um vídeo de um jogo com geometria tetra-dimensional.

Agora imagine se isso, ao invés de ser um cenário de jogo, fosse um monstro gigante te perseguindo. Mas eu divago. Sem mais delongas, vamos às ilustrações mais criativas de Cthulhu que eu consegui achar enquanto escrevia esse artigo!

1. Cthulhu! Por Mr–Gone.

cthulhu__by_mr__gone-d6wlqp9

Ok, certo, esse Cthulhu ainda está um pouco humanoide e sólido para meu gosto… Mas essa cara… Olhe essa cara! Você quase pode ouvir um grito histérico saindo dessa garganta entupida de tentáculos! Esse Cthulhu não é imponente e não tem nenhum ar de majestade – exatamente como devia ser. O corpo magricela só reforça esse esse sentimento. A barriga transparente também foi legal.

E aproveitando a deixa… Por que tantas ilustrações mostram mulheres peladas sendo oferecidas como sacrifício? Tá, um grupo de cultistas em o Chamado de Cthulhu foram achados ao menos semi-nus, mas puts… Quer dizer, eu não me lembro de haver uma preferencia por oferendas femininas em lovecraft. Isso é especialmente irritante com os Deep-ones. Os caras de Insmouth também tinha que dar uns pegas nos horrores além do véu, povo!

Não me deixe esperando, querido!

Não me deixe esperando, querido! Por Jubjubjedi.

2. Kthulhu, por Dmon008.

kthulu_by_dmon008-d8s5yq5

Se é para interpretar a estatueta de Cthulhu como uma representação fiel da criatura, então podemos fazer isso ao pé da letra. Compare a ilustração do Dmon008 com a do próprio Lovecraft.

65129807_dadbb202a6

3. Primordial Reaper, por Vincent Van Hoof

tumblr_npbvfsF5rJ1ro6gifo1_r1_1280 (1)

Ok, estou forçando a barra aqui, mas diga que essa ilustração não foge do comum! Mas em uma nota mais séria, é sempre bom lembrar que Cthulhu e derivados podiam, até certo limite, mudar de forma.

4. Cthulhu, por  Jonathan “Scythemantis” Wojcik.

fc,550x550,white

Nessa ilustração mais estilizada, vemos um Cthulhu apodrecido, literalmente se desfazendo. O que me parecer ser bastante apropriado para alguém que passou tanto tempo preso em sua própria tumba, diga-se de passagem, e bate com as poucas descrições que temos dele. A cabela dele também parece mais evocativa de uma água-viva do que de uma lula, o que é uma escolha interessante.

Também gostaria de ressaltar que a perna direita dele possui uma lacuna. Pedaços de membros desaparecendo e surgindo do nada seria o tipo de coisa que esperada em seres treta-dimensionais.

5. Cthulhu, artista não localizado.

cthul5

Outro Cthulhu Decrepito. Assim como o último exemplo, parece que esse cara vai se desmanchar a qualquer momento. Ou será que ele está se reformando? Fui só eu que fiquei com a impressão que os tentáculos do tronco e do braço estão se entrelaçando para regenerar o corpo dele? Genial. Se alguém sobre que é o ilustrador dessa obra, por favor me informem.

6. Cthulhu Rampant, por Curt Chiarelli

curt-chiarelli-cthulhu-rampant

Essa ilustração é uma prova que é possível fazer algo diferente mesmo no esquema “Cara com cabeça com cabeça de polvo”. O desing da cabeça, olhos e boca desse cara me lembram – do melhor jeito possível – do Brain Bug de tropas estelares. A presença de… Eh… Tubos no meio das pernas e na ponta da cauda desse Cthulhu me lembram do vilão da história “O Horror de Dunwich”.

7. Cthulhu 1790 e Cthulhu por fiend-upon-my-back.

cthulhu_1790__by_fiend_upon_my_back-d4vo6m7

Essa é, sem duvida, minha versão favorita do Cthulhu. Como não gostar desse cara? O pouco que vemos dele é estranho e alienígena.Eu não faço ideia de como o resto do corpo dele pode ser. Se eu viesse ele vindo para cima de mim, eu nem sequer pensaria em Cthulhu… E é exatamente assim que deveria ser. Os olhos esbugalhados e o tom de pele remetem tanto às ilustrações da época quanto a criaturas do abismo oceânico.

O ilustrador também fez uma outra versão dessa imagem, mostrando um Cthutlhu terrivelmente humano.

cthulhu_by_fiend_upon_my_back-d3g23o6

8. Cthulhu, por Korintic

cthulhu_by_korintic

Outro Cthulhu realmente alienígena. Há muitas coisas legais nessa ilustração, desde as juntas nos braços até as asas de inseto, mas é a cabeça que vende essa ilustração. Esse Cthulhu não é um cara com cabeça de polvo, mas ao mesmo tempo eu posso entender porque um aventureiro assustado o descreveria assim.

9. Old Onde por Chunlo.

the_old_one_by_chunlo-d7i07g5

Outra forcada de barra da minha parte, mas eu repito: águas vivas combinam com Cthulhu. Fora isso esse cara mostra a confusão que todo grande antigo deveria ter.. Estamos vendo só a cabeça dele? Parte do tronco? Ele está voando ou se apoiando nos tentáculos?

10.

cthulhu_rising_by_higherdepths

Talvez essa ilustração ainda seja um pouquinho Kaiju demais para ser uma representação apropriada para Cthulhu, mas ela também faz um ótimo trabalho fugindo do padrão. E mudando de assunto, fui só eu que assisti Pacific Rim esperando que Cthulhu aparecesse no final do filme e levasse uma surra de robôs gigantes usando barcos como porretes fosse temporariamente detido com um ritual?

11. Cthulhu, por Dwan of Cthulhu

Cthulhu, por Dawnof Cthulhu.

Outro Cthulhu que é feio e não tem vergonha disso! O braços-pernas-tentáculos são a aparte mais interessante da ilustração. Ele não parece com nada dessa terra, mas ao mesmo tempo eu posso imaginar ele nadando, voando e andando por ai com esses apêndices.

12. Cthulhu por Anklesnsocks.

Cthulhu, por Anklesnsocks

Cthulhu-lhama. Seu argumento é menos que inválido.

Pois bem pessoal, por hoje é só. Fiquem antenados para o próximo reinterpretando os mythos, onde vamos ir na contramão e tentar ligar Cthulhu e seus amiguinhos à mitologia cristã. E gostou de me ver viajando na maionese sobre monstros? De uma olhadinha em nossa série sobre o folclore brasileiro em D&D ou nossas analises do bestiário  do Old Dragon. Achou esse artigo uma m#rda? Tente os artigos de Renan Barcellos  ou Tyghorn E não perca nenhuma notícia seguindo nosso blog ou curtindo nossa página do face.  Até a Próxima!

Victor Burgos

Entre para o culto de dagon, eles disseram. Vai ser legal, eles disseram. Você vai ganhar peixes e chapéus legais, eles disseram. É só aparecer no culto no domingo e dormir com uma sereia de tempos em tempos, eles disseram. Via Screnjuckies

Entre para o culto de dagon, eles disseram. Vai ser legal, eles disseram. Você vai ganhar peixes e chapéus legais, eles disseram. É só aparecer no culto no domingo e dormir com uma sereia de tempos em tempos, eles disseram. Via Screen juckies

Anúncios

Um comentário sobre “A Montanha que se Arrasta: Reinterpretando os Mythos

  1. Doidu, finalmente alguém com uma visão que expressa o que realmente tá escrito. Tipo, os monstros de lovecraft costumam ser descritos por pessoas assustadas que nunca viram nada parecido. Eles nunca viram nada igual, não sabem com o que comparar, não sabem o que identificar em sua aparência. Eles não tem nome para o que veem e descrevem elementos que julgam estar próximo disso.

    Os monstros de Lovecraft tem um conceito antes de uma aparência. Ele mexe com todos os sentidos, com as sensações e impressões que isso causa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s