Dicas para jogadores: Gerenciando sessões com sistemas complexos

rpgdice

Enormes listas de habilidades. Distribuição complexa de pontos. Gerenciamento do dinheiro do grupo. Árvores de talentos. Muitos jogadores provavelmente já passaram por situações semelhantes. Há uma grande quantidade de sistemas de RPG por ai, porém a grande maioria já deve ter jogado o bom e velho D&D. A primeira vez em que li o Guia do Jogador 3.5, admito ter ficado bem confuso. A quantidade de números derivados, pontos em lugares diferentes e enormes listas de talentos e magias era absurda para quem tinha começado no hobby recentemente. Antes de começarmos a jogar efetivamente, passamos por uma daquelas sessões de preparação onde o mestre nos ajudou a fazer fichas, escolher talentos e perícias, etc. Ainda assim, gerenciar essas coisas e outras mais durante a campanha é relativamente complexo para quem não está preparado, sendo que essa complexidade aumenta cada vez mais.

Esse não é um problema exclusivo do D&D, qualquer sistema que apresente grandes listas de escolhas e muitos pontos a serem distribuídos podem se tornar difíceis, principalmente para jogadores iniciantes. Por causa disso, nesse post irei apresentar algumas soluções encontradas ao longo da “carreira de jogador de rpg” para amenizar esses problemas e agilizar cálculos e escolhas que poderiam vir a atrasar as aventuras.

1 – Conheça o cenário, o sistema e a campanha

No mínimo óbvio. Antes de começarem, seria bacana se o mestre informasse aos jogadores essas três coisas com uma margem de tempo até começarem a jogar. Essa margem pode variar de pessoa pra pessoa, para mim duas semanas é o mínimo para que eu tenha tempo de pesquisar bem. É importante conhecer o cenário para ajudar em que tipo de personagem você pode criar e também o que esperar do jogo. Vão jogar em Rokugan? Acho que a sua ideia de um detetive elfo piloto de mecha não vai bater muito bem. Mesmo que não vá se lembrar de todas as regras do sistema, ao menos leia suas regras e termos gerais. Em Pathfinder muitas coisas são testadas com uma rolagem de d20 + modificadores. Em Reinos de ferro as jogadas normalmente envolvem uma rolagem de 2d6 + modificadores. Ter um entendimento de rolagens gerais e as regras mais comuns é sempre importante. Não só o cenário é importante, conhecer o tipo de campanha também ajuda na criação de personagens. A campanha será mais voltada para exploração? Talvez seja importante adicionar algumas habilidades de sobrevivência.

2 – Pré-selecione as habilidades

Pode escolher 2 habilidades/talentos/magias? Hora de olhar aquela extensa lista com mais de 100 possibilidades para escolher as mais interessantes para seu personagem, uma tarefa que pode facilmente levar mais de 1 hora. Para resolver isso, faça uma pré-seleção das habilidades. Tire algumas horas para pesquisar essas listas e já separe as que você considerar interessantes. Faça um planejamento das escolhas futuras também, desse modo ao chegar naquele ponto você terá uma lista muito mais reduzida para analisar.

3 – Anote regras específicas

Anotes as regras que você considera mais comuns ao seu personagem. Nem sempre o mestre irá conhecer todos os detalhes do sistema, principalmente regras muito específicas e de ocorrência esporádica. Se vai jogar com um mecânico em Reinos de Ferro anote do lado da ficha ou em uma folha de papel as jogadas e regras específicas para fazer uma rápida consulta. Às vezes anotar a página onde se encontra aquela regra também é útil.

4 – Pré-sessão e pós-sessão 

Se precisa calcular alguma coisa, como o valor dos itens vendidos, reserve alguns minutos antes de começar a sessão ou assim que terminar para fazer isso. Esse tempo também pode ser útil para fazer as alterações ao passar de nível, já que fazê-lo no meio da sessão pode atrapalhar.

5 – Planeje o crescimento do personagem

A grande maioria dos sistemas de RPG envolvem crescimento do personagem, seja adicionando pontos, seja passando de nível, não importa. Para poupar tempo quando isso acontecer, faça um planejamento. Onde distribuir pontos, que habilidades escolher, que itens e artefatos comprar, etc. Caso esse crescimento aconteça no meio da sessão, você rapidamente poderá atualizar a ficha e voltar a jogar.

6 – A Folha de Papel

Um dos meus favoritos. Além da ficha, leve uma ou mais folhas de papel. Precisando anotar nomes de personagens, lugares, inscrições élficas antigas ou simplesmente desenhar um mapa? A Folha de Papel estará lá para ajudá-lo. Não só para isso, como também para quase todas as dicas anteriores.

Até o próximo post o/

Caio “Tyghorn” Victor

Anúncios

Um comentário sobre “Dicas para jogadores: Gerenciando sessões com sistemas complexos

  1. Pingback: Aprendizado e Complexidade de Sistemas | dadosmalditos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s