Rokugan Além do Livro Básico – Os Primeiros Meses do Reinado de Iweko I

A História de Rokugan além do livro básico

A história do RPG a Lenda dos Cinco Anéis (L5A) está sempre em constante expansão e muito já aconteceu além do que é mostrado no livro básico. Esse post faz parte de uma série onde tenho contado os principais acontecimentos do Império Esmeralda a partir de onde o livro básico, publicado no Brasil pela editora New Order, parou. Para saber um pouco mais sobre o porque da sempre expansão da história de L5A, veja o post inicial.

A ascensão de Kitsuki Iweko

A ascensão de Kitsuki Iweko

Os primeiros meses do Reinado de Iweko

A Imperatriz Iweko I foi coroada no Mês do Cachorro, o oitavo mês rokugani, e sua ascensão marcou o fim da Era do Homem, no entanto, o ano ainda não estava acabado, e o Império viu novas atribulações e também as primeiras mudanças que a Imperatriz da nova dinastia trouxe à Rokugan.

A coroação não marcou apenas o momento em que recebeu o direito divino de reinar sobre o Império Esmeralda. A própria Imperatriz recebeu parte da sabedoria divina, e muito do que era desconhecido para os mortais, se iluminou diante dela. Um dos principais mistérios de Rokugan, e também secretamente uma das maiores ameaças do Império, se revelou para ela. Com as graças do Firmamento, Iweko I descobriu a real identidade do Clã da Aranha e de sua ligação com o Jigoku. No entanto, em sua sabedoria divina, decidiu que não seria revelado aos Clãs a real identidade da Aranha, que eram leais à Daigotsu e ao Kami negro, pois isso causaria grandes perturbações no Império devido a rede de influência que Daigotsu já tecia entre os clãs.

No entanto, a recém-nomeada Imperatriz não permaneceu apática em relação à Aranha. Já no início do Mês do Javali, declarou que era ilegal pertencer ao Clã da Aranha, e todos que portassem o mon deste Clã deveriam ser mortos caso se mantivessem sua fidelidade. O recém apontado Shogun, Moto Jin-sahn, foi encarregado de atacar as forças da Aranha, levantando um exército com a missão secreta de destruir as forças de Daigotsu que estavam fortificadas na floresta de Shinomen Mori. Ao mesmo tempo, o ronin Susumu, que havia ganhado muita influência nas cortes devido aos serviços prestados ao Unicórnio, foi apontado como Conselheiro Imperial. Iweko, claro, sabia que Susumu era um dos agentes da Aranha que estava infiltrado no Império. Uma manobra para manter os inimigos próximos e vigiados.

Daigotsu segurando o filho nascido meses antes da coroação de Iweko

Daigotsu segurando o filho nascido dois anos antes da coroaçao de Iweko, em 1168

Quando soube que a nova Imperatriz havia descoberto a verdade sobre o clã que formara e que o Shogun estava trabalhando para destruir o que havia conseguido nos últimos anos, Daigotsu procurou a ajuda de Fu Leng. Ele queria consultar o seu mestre, o Kami Negro, para que recebesse algum conselho sobre seus próximos movimentos. No entanto, Daigotsu não conseguiu se comunicar com o senhor do Jigoku, devido a motivos que demorou-se para descobrir e que acabaram culminando na Guerra dos Destruidores. No entanto, Daigotsu não se desesperou. Foi até o seus asseclas e lhes fez um discurso. A Aranha iria perseverar, dominariam o Império e colocaram Fu Leng em seu lugar de direito.

No Mês do Boi, o décimo primeiro mês de Rokugan, as forças de Moto Jin-sahn, compostas da Legião Imperial e reforços do Leão atacaram a fortaleza da Aranha na floresta de Shonomen Mori. No entanto, não conseguiram acabar com o inimigo, pois as forças de Daigotsu atearam fogo na própria fortaleza para dificultar o trabalho do Shogun e acobertar uma fuga. A floresta inteira pereceria em chamas, mas a shugenja Isawa Mizuhiko chegou a tempo ao local e invocou uma poderosa chuva que salvou três quartos da floresta. Nesse mesmo mês, a Imperatriz lançou um decreto que impedia os Clãs de guerrearem uns com os outros, logo em seguida, terminou-se os acertos para o fim da Terceira Guerra Yasuki, entre o Caranguejo e a Garça.

Moto Jin-sahn, um dos competidores do Torneio Celestial e o segundo Shogun de Rokugan

Moto Jin-sahn, um dos competidores do Torneio Celestial e o segundo Shogun de Rokugan

Mas a Aranha e as tramoias de Daigotsu nem de longe eram as únicas ameaças que existiam no seio do Império Esmeralda. No primeiro dia do Mês do Rato, o décimo mês rokugani, samurais do Clã Menor do Texugo avistaram um exército de mais dez mil soldados se aproximando pelo norte de Rokugan, bárbaros Yobanjin vindos das Areias Escaldantes (Burning Sands no original, ainda não sei como foi traduzido). Enviaram um mensageiro para alertar a Imperatriz, que estava na Corte de Inverno nas terras do Escorpião. Prometeram segurar os invasores o quanto conseguissem para dar tempo do Império se preparar.

Por estarem concentradas no ataque à Aranha, as forças do Shogun não conseguiriam responder com presteza. Dois meses depois, no Mês do Tigre, último mês de 1170, o exército inimigo conseguiu penetrar nas terras do Império, iniciando a Guerra do Fogo Negro.

=================================================================================================

Por hoje é isso, galera. Se gostaram do post e querem acompanhar, peço encarecidamente que curtam a nossa página no facebook. Estamos começando agora o blog e precisamos de bastante ajuda de vocês para continuar com o trabalho =) Basta um click ali no botão do lado direito do blog.

Contos de L5A traduzidos

Site da New Order (editora que traduz L5A no Brasil)

Site oficial de L5A (em inglês)

Timeline do século XII de Rokugan (em inglês)

por Renan Barcellos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s