Bestiário Old Dragon de A(assimar) a Z(umbi): Aboleth

Aboleth20Prison

As origens criativas dos aboleths são obviamente lovecraftianas, mas além disso as coisas ficam vagas. Esse autor suspeita eles tenham sido inspirados no “Vigia na Água” do livro “O Senhor dos Anéis”. Mas a outras possibilidades. Em um nota mais obscura, também há uma ilustração de Anthony Saris um grande peixe alienígena de três olhos no livro “Men and Space” de 1994.

O autor desse texto tem um carinho especial pelos aboleths, bem como seus irmãos krakens, slaads, sahuagins e devoradores de mente. Pois eles permitem dar à qualquer partida um toque de horror cósmico sem os… Exageros que costumam estar associados aos mitos de Cthulhu. Vocês sabem, aquele papo de o povo endoidar só de ver um bicho estranho, monstros tão poderosos que o autor/mestre nem pode usar eles direito no livro/mesa, e 1d20 cultos secretos por cidade. É, eu prefiro Cthulhu Diet.;

Inclusive, falando em avacalhação, vamos analisar das estatísticas dos aboleths. Sério, esses bichos são durões, e no Old Dragon mais do que nunca! Fora os dragões, eles são a espécie mais poderosa do Old Dragon. Contando com mais de 200 pvs, quatro golpes de tentáculos com bônus de ataque e dano elevado, a tradicional doença do limo e a capacidade de lançar magias arcanas, os Aboleths são um desafio para qualquer grupo. A única “desvantagem” desses bichos é a CA relativamente baixa. Aventureiros, não esqueçam de trazer os seus itens mágicos para a pescaria.

Mas vamos à teoria maluca do dia. Eu defendo que os aboleths são crias rebeldes de Dagon/Leviathan. Não, rebeldes não é a palavra certa. Ela é branda demais. Deixe-me explicar.

Há muito séculos, quando o mundo era jovem e pedras polidas eram tecnologia de ponta, Dagon/Leviathan não governava os mares sozinho. Ele tinha uma parceira, Hydra, e todo um povo de servos-filhos, do mesmo jeito que Cthulhu tem as Crias Estelares de Cthulhu e Tiamat Shub-niggurath tem as Crias de Shub-niggurath e os dragões.

Antigamente, esse povo, os proto-aboleths, tinham um ciclo de vida complexo: eles nasciam em água doce, onde viviam como vampiros/lampreias até atingir a maturidade, quando sofriam uma metamorfose e migravam para o mar. No entanto, algo aconteceu.

Em algum momento, talvez por mutação, talvez por um acordo com deuses caóticos, talvez por magia arcana, os alevinos usaram a magia arcana para se modificar em uma espécie nova. Ao invés de se metamorfosear e migrar para o mar, eles ficavam em agua doce e cresciam em força. Certamente houve uma guerra entre os Aboleths e as crias de Dagon, mas nunca houve chance.  O próprio Dagon só sobreviveu por causa de suas ligações e controle das criaturas marinhas.

Desde então, Dagon vem buscando por uma nova raça para servi-lo – um fato que os humanos que foram transformados em Criaturas Abissais conhecem muito bem.

Desde então os Aboleths comemoram em seus lares aquáticos, confiantes e soberbos por terem se erguido contra um “deus” e ganhado, perguntando a si mesmo se eles não podem repetir o feito com o resto do panteão…

Ah, e de tempos em tempos eles convertem Criaturas Abissais para sua causa, apenas para irritar Dagon.

Por hoje é só pessoal! Não se esqueçam de nos seguir e curtir a nossa pagina do face, e boas aventuras!

Por Victor Burgos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s